O dia a dia de um Revisor de Textos

O dia a dia de um Revisor de Textos

As pessoas sempre me perguntam sobre como eu trabalho, tanto clientes como alguns seguidores do Instagram, Youtube ou de meus blogues. Portanto, explico neste post como eu me organizo em meu dia a dia como Revisor de Textos. As perguntas mais comuns que as pessoas me fazem são: 1. quantas horas por dia você trabalha? Você trabalha todos os dias? Trabalha aos finais de semana? 2. Quando o texto é muito extenso, você demora quantos dias para revisá-lo? Em quantas etapas você realiza o serviço? 3. Você revisa o texto mais de uma vez? 4.Trabalha com checklists? Que tipo de intervenções você realiza? 5.Em relação à Língua Portuguesa, como você divide o seu trabalho, quais os critérios para revisão?


1. Quantas horas por dia você trabalha? Você trabalha todos os dias? Trabalha aos finais de semana?

Trabalho, de segunda a sexta-feira (se algum cliente insistir muito, e eu tiver tempo, eu, também, trabalho aos finais de semana), cerca de 8 a 11 horas por dia. Sim, eu trabalho bastante. Algumas pessoas pensam que quem trabalha remotamente como eu trabalha pouco. Algumas pessoas, sim, ao menos nos primeiros anos de desenvolvimento de negócios virtuais, trabalham muito, às vezes muito mais do que se tivessem um emprego convencional. Eu trabalho pela internet desde 2011, embora tenha blogues e sites desde 2006. No meu caso, eu não planejei trabalhar pela internet. Eu comecei a deixar os meus contatos em meus blogues e as pessoas começaram a me ligar, de todo o país. Quando eu percebi, eu estava sobrecarregado com as minhas revisões e com o meu emprego convencional de Professor. Pedi demissão e dediquei-me exclusivamente, desde aquele período, ao ofício de Revisão de Texto. Ás vezes, trabalho muito mais, mas eu me sinto muito mais realizado e feliz.   Sou Workaholic, e trabalhar para mim é uma forma de concentrar a minha energia. Eu penso bastante e tenho muita energia. Revisar Textos, muito além de uma profissão, é algo que me preenche e me mantém vivo e feliz, que, ao final do dia, me deixa em paz comigo mesmo. Eu também acredito que, por meio do meu serviço, ajudo as pessoas, e isso me deixa bastante realizado.

2. Quando o texto é muito extenso, você demora quantos dias para revisá-lo? Em quantas etapas você realiza o serviço?

Quando tenho muito trabalho, ou quando recebo textos extensos, como teses de doutorado ou livros, eu tenho de atuar com muita cautela, pois jamais penso que o objetivo em si é “encerrar o serviço”. Digo isso, pois me preocupo verdadeiramente com o texto de meus clientes e com a minha reputação como Revisor de Textos (fico até paranoico com a redação de meus posts, mas eu já me convenci que, embora eu tente bastante, é impossível atingir a perfeição, mas é possível buscá-la). E eu sei de minha responsabilidade para com as outras pessoas. Portanto, não há outra “saída” a não ser ter cautela e realizar um bom serviço. Assim, eu tenho de dividir o meu serviço em etapas. Eu não recomendo que ninguém revise, em um mesmo dia, para um mesmo gênero textual, mais do que 30 laudas. Isso porque os nossos olhares não são “biônicos”, Revisores não são oniscientes, onipresentes e onipotentes. Parece paradoxal o que direi: quanto mais nos envolvemos com algo, mais presos ficamos àquela realidade. É preciso que o Revisor se distancie do texto frequentemente, pois isso permite que a sua visão se revele mais “límpida”. E, com certeza, isso garante maior qualidade ao serviço e satisfação do cliente.
Realizo o meu serviço em quatro etapas. A primeira se refere ao diálogo com o cliente. Obtenho o máximo de informações sobre o gênero textual em si, sobre o público-alvo ao qual o autor pretende atingir com o texto, bem como sobre o contexto de circulação do texto e as expectativas do autor. Também, esclareço aos clientes o que é o meu serviço, para que não haja mal entendidos. A segunda etapa consiste em uma leitura profunda do texto, que se articula ao tipo de serviço solicitado pelo cliente, por exemplo, se o cliente solicitou o serviço de Revisão Ortográfica e Gramatical, eu realizo uma leitura mais estrutural do texto, relativa à questões de regras de uso da Língua Portuguesa do Brasil. Quando o cliente solicita um serviço mais complexo, como o caso da Revisão Crítica ou quando solicita que eu faça uma revisão seguindo critério de exigência de algum edital ou qualquer outra questão, eu preciso desdobrar essa etapa em duas outras e realizar duas “leituras” do texto.
Ao longo da “leitura” do texto, eu realizo as intervenções ortográficas e gramaticais e o que mais me proponho a fazer (alterações estilísticas, por exemplo). Ás vezes, ajusto o meu olhar mais à forma do texto, dependendo do serviço, do que ao conteúdo. Também fico atento a outras questões no texto, como períodos incompletos e características do gênero textual em si. No caso de serviço mais simples, eu acredito que tenho a obrigação ao menos de informar ao cliente o problema do texto dele (no caso de períodos incompletos no texto), por meio de mensagens deixadas em caixas de comentário. Na terceira etapa, eu volto ao texto para verificar novamente alguns períodos, faço uma leitura mais rápida e realizo, ainda, várias alterações. Por fim, eu faço um checklist para que nenhuma questão ortográfica ou gramatical passe “batida” e uniformizo várias ocorrências no texto. Quando o cliente solicita formatação, eu, geralmente, reviso o texto pela manhã e faço a formatação pela tarte. O processo funciona da mesma maneira. Em média, para cada 100 laudas enviadas, eu solicito cerca de 4 dias úteis de entrega. Para mim, é um prazo suficiente para realizar um bom serviço.

3. Você revisa o texto mais de uma vez?

Este é assunto para outro post. Mas eu realizo o meu serviço em quatro etapas, conforme informei no tópico anterior, no período de tempo que indico ao cliente. Tento não extrapolar a quantidade de 11 horas de trabalho diário. Mas, às vezes, isso acontece porque eu tenho de responder a clientes por Whatsapp, por e-mail, pelo Facebook, pelo Instagram, preciso gerar boletos, pagar impostos ao governo, falar com o meu contador,  resolver alguns problemas de meus sites e blogues, enfim. Após a entrega do serviço, eu às vezes realizo segunda ou terceira revisão. Mas estes são serviços separados. Eu cobro, geralmente, 20% em relação ao primeiro valor acordado para cada vez que o texto for encaminhado. Se houver diferença de laudas em relação ao primeiro valor acordado, eu faço uma contagem para calcular o excedente e contabilizo a porcentagem de 20% em cima, exatamente, da primeira quantidade acordada. 

4.Trabalha com checklists? Que tipo de intervenções você realiza?

Trabalho, sim. Tenho um checklist com mais de 50 problemas comumente encontrados em textos. O checklist me ajuda a manter um padrão final de checagem de qualidade, impedindo que alguns problemas básicos do texto não sejam sinalizados aos clientes. Eu também trabalho com alguns softwares que sinalizam inadequações ortográficas e gramaticais. Já trabalhei, por exemplo, com o software Flip, mas hoje prefiro o corretor ortográfico e gramatical do BbreOffice e do Word, da Microsoft.

5.Em relação à Língua Portuguesa, como você divide o seu trabalho, quais os critérios para revisão? 

Verifico vocábulos, locuções, orações, períodos, parágrafos, capítulos e o texto como uma unidade. Mas esse processo varia de acordo com o serviço solicitado. Por meio da Revisão Crítica, eu realizo quase o dobro de alterações nos textos dos clientes em relação à Revisão Ortográfica e Gramatical, mais simples. Eu, também, busco uniformizar vocábulos, para deixar o texto mais elegante. Deixo dicas relativas ao gênero em si, sugestões de reformulação de título, se for o caso, até altero a ordem de parágrafos, se, também, for o caso. Realizo uma checagem bastante completa em todos os níveis linguísticos, desde o gênero em si a questões sintáticas, estilísticas, vocabulares. Os meus clientes ficam bastante satisfeitos com os meus serviços. Eu trabalho nessa área há muitos anos. E tenho muito a contribuir para os textos de meus clientes (eu chego a realizar cerca de 10 a 20 alterações por lauda quando um trabalho está bem redigido (risos), quando o trabalho tem sérios problemas, eu chego a realizar mais de 50 alterações por lauda (o cliente receberá, praticamente, um novo texto). 

9 respostas em “O dia a dia de um Revisor de Textos

  1. Pingback: Revisão de Texto em Marília | Me. Anderson Hander

  2. Pingback: Revisão de Texto em Campo Grande | Me. Anderson Hander

  3. Pingback: Revisão de Texto em Belém do Pará –Prof. me Anderson Hander

  4. Pingback: Mal entendidos a respeito de Revisão de Textos | Me. Anderson Hander

  5. Pingback: Considerações sobre Idem, apud, op. cit. à luz da ABNT | Me. Anderson Hander

  6. Pingback: Revisão Ortográfica em Brasília-DF | Me. Anderson Hander

  7. Pingback: Revisão de Texto em Belo Horizonte, Minas Gerais | Me. Anderson Hander

  8. Pingback: De quem é a responsabilidade do texto? | Me. Anderson Hander

  9. Pingback: Orçamento para Revisão de Texto em São Paulo | Me. Anderson Hander

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s